Matéria

Todas as calorias são iguais?

Bruno Brown – Nutricionista – CRN 09101026

Muito se fala em calorias, mas você realmente sabe o que significa isso? Então, antes de debater o assunto vamos esclarecer do que se trata essa unidade de medida. Existem alguns conceitos mais específicos e técnicos falando sobre a nomenclatura usada: calorias ou quilocalorias.

Mas de uma forma simples, podemos considerar a caloria como uma unidade de medida energética de alimentos e bebidas: uma caloria pode ser definida como a quantidade de energia utilizada para aumentar em um grau celsius um grama de água.
A quantidade de calorias de um alimento depende da sua composição de macronutrientes, que são basicamente as proteínas, os carboidratos e as gorduras. O álcool também contém uma quantidade de calorias, porém essas calorias são consideras calorias vazias, que é um termo utilizado para alimentos que possuem uma alta quantidade de calorias com pouco ou nenhum nutriente essencial a saúde.

De uma forma geral, a quantidade total de calorias de um alimento e bebida se deve à energia gerada por esses nutrientes. Os carboidratos e proteínas possuem 4kcal por grama e as gorduras possuem 9kcal pela mesma quantidade. Por isso, os alimentos com maior quantidade de gorduras costumam ser os mais calóricos. Depois dessa rápida explicação sobre as calorias, vamos voltar ao assunto principal que é debater se todas essas calorias são “iguais”.



Será que consumir 200Kcal de peito de frango, que é um alimento que basicamente só possui proteínas, e consumir 200kcal vindo de um refrigerante, que basicamente só possui açúcar, tem o mesmo impacto no nosso corpo? A resposta é NÃO.

Nesse caso em específico, ainda podemos comparar explicando que a proteína é o macronutriente que tem um maior efeito termogênico no nosso organismo, ou seja, o nosso corpo gasta mais energia para conseguir digeri-lo. Já o outro alimento é feito principalmente de sacarose, que além dos efeitos nocivos provoca um alto pico de insulina no organismo, sem contar outras substâncias que estão contidas no refrigerante.

Então são alimentos com a mesma quantidade de calorias só que com uma composição bem diferente, logo não terão o mesmo efeito no organismo direta ou indiretamente. Devemos, portanto, entender e analisar o alimento de uma forma mais específica: às vezes um prato mais calórico pode ser mais saudável que um prato menos calórico devido à sua composição.

Alguns estudos demonstram que dietas isocalóricas (com a mesma quantidade de calorias) só que com a composição diferente de carboidratos, proteínas e gorduras, podem ter efeitos diferentes na composição corporal dos indivíduos que participaram dos estudos.

Até mesmo uma dieta com mais calorias pode trazer uma maior perda de peso do que uma com menos quantidade de calorias dependendo da sua composição. Claro que existem embasamentos para calcular uma dieta com a quantidade de calorias especificas para cada individuo e seu objetivo. Porém, nosso corpo não é uma simples questão matemática, não é tão simples comer X para ganhar ou perder Y. Existe a individualidade biológica de cada um, o que pode servir para um pode não ter os mesmo resultados em outra pessoa. Os alimentos não são apenas calorias, eles agem de diversas maneiras no nosso metabolismo.

Agora quando forem escolher uma refeição ou algum produto no supermercado, não fiquem atentos apenas a quantidade de calorias do produto e sim de onde vem essas calorias. Aprendam a olhar a quantidade de proteínas, de açúcar, de gordura saturada, por exemplo, além de outras substâncias sem valor calórico, mas que podem prejudicar a saúde.

Se alimentar bem vai muito além do que contar calorias.



« Voltar para matérias